Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias > Apresentações culturais agitam o segundo dia da Semana do Centenário
Início do conteúdo da página

Apresentações culturais agitam o segundo dia da Semana do Centenário

Publicado: Quarta, 23 de Setembro de 2009, 23h48 | Última atualização em Quinta, 24 de Setembro de 2009, 16h08

Nesta terça-feira, o palco foi dos alunos, durante o ArtIfes. À noite, as comemorações tiveram sequencia com um culto ecumênico e música clássica.

No segundo dia de comemoração dos 100 anos da Rede Federal de Ensino e do Ifes, o palco foi dos próprios alunos, durante o ArtIfes. O grupo de teatro da escola, Os Ocasionais, fez duas apresentações, pela manhã e à tarde, recheadas de poemas, crônicas, contos, teatro e música, que foram acompanhadas pelos estudantes e servidores no pátio central da escola.

Em ambas as sessões, os alunos-artistas fizeram 14 apresentações, com textos de autores consagrados da literatura brasileira. Luís Fernando Veríssimo, Carlos Drummond de Andrade e Manuel Bandeira foram apenas alguns deles.



O momento mais marcante foi a declamação da Marcha Eteviana, ao final, que tirou muitos aplausos e assobios da platéia. A declamação do poema “Cefetiano”, do aluno Marcos Felipe, foi outro ponto alto. No texto, ele relata que, além da boa formação profissional, que abre portas para o mercado de trabalho, a instituição tem outra característica marcante: é um ambiente no qual os alunos vivenciam experiências únicas e fazem amigos que vão levar para a vida inteira.

Culto ecumênico e música clássica
Na noite desta terça-feira (22), as comemorações tiveram sequencia com um culto ecumênico e a apresentação da Orquestra Camerata, do Sesi, e do coral Camerata do Ifes.

A programação teve início com a apresentação da Sinfonia 27 de J. Haydn, executada pela orquestra, seguida pela execução da Halleluja (Messias), de G.F. Handel, com o coro do Ifes e a orquestra. Em seguida, falaram o vice-presidente da Federação Espírita do Espírito Santo, Frederico Resende, o pastor Julio Cesar de Paula Brotto e o padre José Roberto Gonçalves, que discursaram sobre a importância da instituição para a formação da sociedade capixaba e deram sua mensagem de fé.

O encerramento da solenidade se deu com a apresentação da Missa da Coroação em Dó Maior – KV 317, de Wolfgang Amadeus Mozart.

registrado em:
Fim do conteúdo da página