Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias > Parceria entre Ifes, Hucam e Receita Federal cria solução que diminui riscos de contágio durante a intubação de pacientes com a Covid-19
Início do conteúdo da página

Parceria entre Ifes, Hucam e Receita Federal cria solução que diminui riscos de contágio durante a intubação de pacientes com a Covid-19

Publicado: Quinta, 30 de Abril de 2020, 16h21 | Última atualização em Segunda, 04 de Maio de 2020, 11h44

O videolaringoscópio 3D oferece menor risco e melhor eficiência para os profissionais de saúde.

08 Videolaringoscopio3d

Aliar criatividade à superação de desafios relacionados à preservação da saúde e à cura de enfermidades. Essa foi a premissa para remodelar e adaptar a ideia de um novo modelo de videolaringoscópio, feito a partir de uma impressora 3D, que já está sendo testado por profissionais do Hospital Universitário Antônio Cândido Mendes (Hucam) no tratamento de pacientes durante a pandemia no novo coronavírus (Covid-19).

A adaptação do videolaringoscópio 3D foi desenvolvida pelo Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), pela equipe de robótica do Campus Colatina, em parceria com a Hucam. Mas ele também é formado por microcâmeras e por um celular que funciona como monitor. As microcâmeras identificadas pela Hucam podem ser compradas online a um baixo custo (R$ 30). Já os celulares vieram de uma doação da Alfândega da Receita Federal do Porto de Vitória. O órgão realizou uma doação de 50 smartphones para o projeto.

01 Smartphones Hucam

Com o videolaringoscópio 3D será possível realizar a intubação de pacientes que necessitam de ventilação mecânica com menor risco de contaminação e melhor eficiência para os profissionais de saúde, já que resguardam um distanciamento mais seguro de pacientes infectados pelo novo coronavírus. Pela situação da pandemia, há uma dificuldade mundial em adquirir esses equipamentos prontos no mercado.

“Cada equipamento demora 3h30 para ser impresso. A partir de um modelo disponibilizado pelo Hucam, criamos uma opção mais anatômica, com formas mais arredondadas, pensando também em aliviar o desconforto do paciente. Imprimimos duas unidades para teste, se for aprovado, podemos aumentar a produção”, explicou o professor Ricardo Tedesco, do Ifes – Campus Colatina, responsável pela impressão dos equipamentos.

registrado em:
Assunto(s): covil-19 , parceria , tratamento
Fim do conteúdo da página